15 de junho de 2024

Projeto transforma garrafas pet em bikes para estudantes

‘Recicleta’ é uma iniciativa da Secretaria do Meio Ambiente do município de Tupã, SP. Empresa faz os quadros das bicicletas com material coletado pelos alunos

Bicicletas são feitas com recolhimento de garrafas pet - Foto: Reprodução/TV TEM
Bicicletas são feitas com recolhimento de garrafas pet – Foto: Reprodução/TV TEM

Um projeto pioneiro no país transforma garrafas pet recolhidas por alunos das escolas públicas de Tupã, SP em bicicletas. Até agora, 21 foram sorteadas e entregues para os alunos das escolas públicas pelo projeto “Recicleta”. A ideia mobilizou centenas de crianças, que saíram às ruas atrás dos recicláveis. Em apenas uma escola, elas juntaram 16 mil garrafas. O trabalho está ligado diretamente à educação ambiental.

A iniciativa da Secretaria de Meio Ambiente surgiu da necessidade de dar destinação correta para as garrafas plásticas jogadas nas ruas e descartadas com o lixo doméstico.

Por causa do sucesso da campanha, o projeto deve se estender em outros anos. “Vamos tentar incluir outros materiais para que a premiação não seja só a bicicleta, mas também alguma viagem ou algum item ecológico para as crianças”, informou o secretário, Renan Pontelli.

O material recolhido pelos estudantes é armazenado em uma sala da Secretaria de Meio Ambiente. Em seguida, as garrafas vão para reciclagem e depois encaminhadas para uma empresa em São Paulo, que derrete o material e transforma em quadro de bicicleta. A montagem do restante da bicicleta é feita por patrocinadores do projeto. Depois de pronta, ela é entregue nas escolas e sorteadas entre os alunos.

A professora Rosemeire Dias está impressionada com a colaboração dos alunos. Para ela, esse trabalho faz a diferença na educação ambiental das crianças. “Alguns alunos recolhem pelo caminho, às vezes com os vizinhos. E na escola fizemos uma campanha bem legal distribuindo cupons para eles participarem dos sorteios. Eles arrecadaram muita garrafa”, disse.

Cada estudante já criou o hábito de entregar pelo menos uma garrafa pet para a professora antes da aula. A atitude se estende a maioria das escolas públicas de Tupã. Ketlyn Adrielle, de 8 anos, fez campanha em casa e também levou garrafas para a escola. “Pego na rua, peço para minha mãe e para pessoas que bebem refrigerante e água”, contou.

Fonte: Confederação Paulista de Ciclismo, com informações do Portal G1

error: Textos, fotos, artes e vídeos do site MTB Brasília estão protegidos pela legislação brasileira sobre direito autoral. Não reproduza o conteúdo do jornal em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização