20 de junho de 2024

Presidente da Caloi se diz contra a redução de IPI para bicicletas

Eduardo Musa ameaça: “Se isto ocorrer, iremos transferir nossa produção de bicicletas para a China”

Musa: Na contamão
Musa: Na contamão

Em recente entrevista à revista Bicycle Online, o presidente da Caloi, Eduardo Musa posicionou-se contra o movimento que pede a redução de carga tributária para bicicletas no Brasil. De acordo com Musa, se a medida for adotada, “iremos transferir nossa produção de bicicletas para a China”, ameaçou. Musa, que também acumula os cargos de diretor da Abraciclo e do Simefre, destacou que esta é a sua opinião pessoal dele e não necessariamente das entidades que representa.

Vale lembrar que este ano Eduardo Musa vendeu 70% da Caloi ao grupo Dorel (proprietário das marcas Cannondales, GT, Schwinn entre outras). Com o acordo, Musa permanecerá a frente do Grupo Caloi, que passará a comercializar as marcas de bikes da Dorel com preços “made in Brazil”, ao contrário de seus concorrentes estrangeiros. Um excelente negócio que poderá resultar em prejuízo para os bolsos da Dorel, caso uma possível redução de IPI para as demais marcas ocorra.

Durante a realização da Brasil Cycle Fair, a maior feira do gênero no país, o ex-ministro da Fazenda Maílson da Nóbrega palestrou sobre seu estudo de mercado intitulado Acesso à Bicicleta: Impostos x Mobilidade, onde conclui que, ao baixar os impostos, mais bicicletas seriam vendidas no país. Ou seja, brigar por menos impostos, como defende a Aliança Bike, é (quase) uma unanimidade no mercado. Além da indústria, fazem coro à redução do IPI para bicicletas os usuários de bikes e os comerciantes.

Veja também:

error: Textos, fotos, artes e vídeos do site MTB Brasília estão protegidos pela legislação brasileira sobre direito autoral. Não reproduza o conteúdo do jornal em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização