25 de abril de 2024

TranzX ‘ressucita’ a mesa de guidão com amortecimento

TransX Anti Shock

Houve um tempo (e ponham tempo nisto!) em que se pensava que os avanços de guidão com amortecimento iriam revolucionar a indústria da bicicleta.

Antes do advento dos atuais garfos de suspensão – item praticamente obrigatório em toda bicicleta de mountain bike -, uma das poucas maneiras de se amortecer os impactos causados pelo terreno era utilizando mesas de marcas como a Girvin e a Softride, que utilizavam um sistema de pararelogramos, molas e/ou elastômeros, que amorteciam que, embora cumprissem a finalidade com relativa eficiência, alteravam abruptamente a geometria da bike e a postura do ciclista, causando não raras vezes alguns tombos bastante sérios. Para piorar, os elastômeros tinham uma vida útil bastante curta, ressecando e tornando-se inúteis em pouco tempo.

Recentemente, a marca taiwanesa TranzX resolveu rever o conceito de mesa amortecedora, porém sob um outro ponto de vista. Ao invés de tentar inutilmente competir com as atuais suspensões dianteiras convencionais, criou uma mesa que absorve as vibrações de terrenos irregulares, mediante uma articulação especial na mesa que proporciona um suave movimento vertical entre +1 e -2°.

A tecnologia, denominado pelo fabricante de Antishock Stem utiliza uma articulação mecânica, com os parafusos de fixação da mesa na espiga do garfo colocadas em uma base separadas do restante da mesa.

As mesas Antishock da TranzX são construídas em liga de alumínio 6061-T6, são disponibilizadas nas medidas 80, 90, 100, 110 e 120 mm. O peso declarado pelo ofabricante é de 200 gramas (mesa de 100mm). Até o presente momento, ainda não há previsão de lançamento no Brasil.

error: Textos, fotos, artes e vídeos do site MTB Brasília estão protegidos pela legislação brasileira sobre direito autoral. Não reproduza o conteúdo do jornal em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização