23 de junho de 2024

Vuelta a España 2013: Dificuldade nas alturas

vuelta_capa

Com 11 chegadas em subida, competição espanhola será teste para pernas; Confira destaques

Neste sábado (24), começa a Vuelta a España, terceira e última Grande Volta do ano. Mais nova de todas, a competição espanhola vai para sua 68ª edição ainda na sombra de suas ‘irmãs mais velhas’ Tour de France e Giro d’Italia.

Sem a presença da estrela local Alberto Contador (Saxo-Tinkoff) e da dupla da Sky, Bradley Wiggins e Chris Froome, a Vuelta tenta ganhar sua fama com o que pode oferecer de melhor: a dificuldade.

Para este ano são nada menos do que 11 chegadas em subida, mais da metade do total. E as primeiras já nas etapas dois e três, quando os ciclistas percorrem a região da Galícia e alcançarão o inédito Alto do Monte da Groba. Nos dias seguintes, subidas que chegarão a 30% de inclinação média.

Mas apesar de proceder o Campeonato Mundial, a Vuelta a España não foi desprestigiada. Estarão em ação alguns dos melhores escaladores da atualidade como Vincenzo Nibali (Astana), atual campeão do Giro d’Italia e vencedor da Vuelta em 2010, os colombiandos Rigoberto Urán (Sky), Sergio Henao (Sky) e Carlos Betancur (Ag2r) além do pelotão de espanhóis que tentarão vencer em casa: Joaquin Rodríguez (Katusha), Alejandro Valverde (Movistar) e Samuel Sanchez (Euskaltel).

Confira a seguir motivos para acompanhar a Vuelta a España:

Vários favoritos

Apesar de Vincenzo Nibali ser apontado como principal favorito, a performance do italiano na Espanha é uma incógnita. O siciliano não preparou nenhum treinamento específico ou reconheceu etapas importantes. Segundo ele, sua tática será a mesma que foi usada em 2010, ano de seu título. “Vou esperar que chegue meu momento”

Além disso, Nibali está de olho no Mundial de Estrada, que acontece no final de setembro na Itália. “A ideia é começar a competição com 75% e sair 100%. Meu outro objetivo é o Mundial. Tenho a experiência de três anos atrás, quando tive uma boa participação em Geelong (Áustria) graças a Vuelta”.

Isto pode abrir espaço para outros ciclistas. Após pódios seguidos no Giro, Vuelta e Tour, Joaquin Rodríguez espera enfim conquistar sua primeira Grande Volta. Alejandro Valverde, campeão em 2009, é outro que pode surpreender.

E todos estarão de olho no trio de colombianos composto por Carlos Betancur (Ag2r), Sergio Henao (Sky) e Rigoberto Urán (Sky) que liderarão suas equipes em busca do segundo título do país na Vuelta.

Caminho aberto para novo sprinter

Com tantas montanhas, os grandes sprinters abdicaram da Vuelta. Mark Cavendish (Omega Pharma), Marcel Kittel (Argos-Shimano) e André Greipel (Lotto-Belisol) não estarão na Espanha. Peter Sagan (Cannondale), que poderia brilhar sozinho, também não foi convocado.

E mesmo John Degenkolb, que ano passado venceu cinco vezes na Vuelta, não foi chamado, assim como Elia Viviani (Cannondale) e Nacer Bouhanni (FDJ).

Sem sprinters puro, as chegadas planas podem ver vitórias de ciclistas como Edvald Boasson Hagen (Sky), que disputará sua primeira Vuelta, ou Simon Gerrans (Orica-GreenEdge), vencedor de uma etapa no último Tour de France.

Ou então o surgimento de um novo sprinter, caso dos estreantes Nikias Arndt, alemão de 21 anos e aposta da Argos-Shimano, equipe especialista nas chegadas planas, e Michael Matthews, australiano de 22 anos da Orica-GreenEdge que recentemente foi o melhor sprinter do Tour de Utah.

“Coadjuvantes” de luxo

A Vuelta marcará o retorno de alguns ciclistas que andaram sumido nos últimos meses. Caso de Fabian Cancellara (RadioShack), que após brilhar nas Clássicas da Primavera, disputará sua primeira Grande Volta do ano.

Outro retorno é de Ivan Basso (Cannondale), recuperado de uma lesão que o tirou de última hora do Giro d’Italia. Também estará na Espanha o veterano Chris Horner (RadioShack) de 41 anos, em sua primeira Grande Volta desde o Tour de France em 2012.

E por que não citar Adam Hansen (Lotto-Belisol) que se prepara para sua sétima Grande Volta seguida.

A 1ª etapa da Vuelta a España será um contrarrelógio por equipes de 27,4 km entre Vilanova de Arousa e Sanxenxo. As equipes sairão de uma plataforma de madeira usada para pesca. O Prólogo fará o minuto a minuto.

Confira as 21 etapas (total: 3.319,1 km)

1ª etapa, 24/08, Vilanova de Arousa – Sanxenxo 27,0 km (contrarrelogio por equipes).
2.ª etapa, 25/08, Pontevedra -Baiona Monte da Groba 176,8 km (montanha).
3.ª etapa, 26/08, Vigo – Mirador de Lobeira, 172,5 km (plano).
4.ª etapa, 27/08, Lalín – Fisterra, 186,4 km (montanha).
5.ª etapa, 28/08, Sober – Lago de Sanabria, 168,4 km (montanha).
6.ª etapa, 29/08, Guijuelo – Cáceres, 177,3 km (plano).
7.ª etapa, 30/08, Almendralejo – Mairena de Aljarafe 195,5 km (plano).
8.ª etapa, 31/08, Jerez de la Frontera – Peñas Blancas, 170 km (montanha).
9.ª etapa, 01/09, Antequera – Valdepeñas de Jaén, 174,3 km (montanha).
10.ª etapa, 02/09, Torredelcampo – Alto de Hazallanas, 175,5 km (montanha).
03/09, Descanso.
11.ª etapa, 04/09, Tarazona – Tarazona, 38km (contrarrelogio individual).
12.ª etapa, 05/09, Maella – Tarragona, 157 km (plano)
13.ª etapa, 06/09, Valls – Castelldefels, 165 km (montanha).
14.ª etapa, 07/09, Bagà – Andorra – Collada de la Gallina, 164 km (montanha).
15.ª etapa, 08/09, Andorra – Peyragudes, 232,5 km (montanha).
16.ª etapa, 09/09, Graus – Sallent de Gallego, 147,7 km (montanha).
10/09, Descanso
17.ª etapa, 11/09, Calahorra – Burgos, 184,5 km (plano).
18.ª etapa, 12/09, Burgos – Peña Cabarga, 186 km (montanha).
19.ª etapa, 13/09, S.Vicente de la Barquera – Alto Naranco, 177,5 km (montanha).
20.ª etapa, 14/09, Avilés – Angliru, 144,1 km (montanha)
21.ª etapa, 15/09, Leganés – Madrid, 99,1 km (plano)

Fonte: Prólogo

error: Textos, fotos, artes e vídeos do site MTB Brasília estão protegidos pela legislação brasileira sobre direito autoral. Não reproduza o conteúdo do jornal em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização