12 de junho de 2024
Brasília passou Rio de Janeiro e São Paulo e é a cidade com maior malha de ciclovias do país - Foto: Divulgação

GDF diz que Brasília já tem maior malha de ciclovias do País

Capital federal ultrapassou o Rio de Janeiro, que liderava as estatísticas

Brasília passou Rio de Janeiro e São Paulo e é a cidade com maior malha de ciclovias do país - Foto: Divulgação
Brasília passou Rio de Janeiro e São Paulo e é a cidade com maior malha de ciclovias do país – Foto: Divulgação

Brasília já tem a maior malha cicloviária do Brasil. Até o fim do próximo ano, a cidade pode ser uma das líderes mundiais, com 600km de faixas exclusivas para as bicicletas.  O que faz as pessoas adotarem um sistema de transporte e abandonarem o outro é que ele seja mais rápido, barato e seguro. Barata a bicicleta já é, estamos, portanto, trabalhando para que ele seja mais seguro e rápido, explicou o representante do Comitê Gestor da Política de Mobilidade Urbana do DF, Paulo Alexandre Passos.

Uma pesquisa realizada pela ONG Mobilize Brasil, com dados de 2011, colocou a capital federal no segundo lugar entre as capitais brasileiras na malha cicloviária do país, com 160 km.

Em segundo lugar, com 300 km, está o Rio de Janeiro, antiga líder nacional, e em seguida São Paulo, maior cidade do país, que possui 69,8 km, segundo a ONG. O Distrito Federal tem um Plano Mobilidade por Bicicleta que prevê que, até o fim de 2014, a malha atinja 600 km de ciclovias, contou Paulo Alexandre Passos.

Assim, o DF terá uma das maiores redes de ciclovias do mundo, maior do que as de Copenhague (Dinamarca), Paris (França) e Amsterdã (Holanda), que têm, respectivamente, 350km, 394km e 400km, e quase tão extensa quanto a de Nova York (EUA), de 670km.

São investidos atualmente R$ 42 milhões nos 161,5 km que se encontram em fase de conclusão, obras que estão localizadas no Plano Piloto, Guará, Paranoá, Gama, Riacho Fundo II, Park Way e Samambaia, regiões administrativas do DF. “Estamos avançando como nunca nas políticas para a bicicleta no DF. Milito nesse tema há 18 anos e, pela primeira vez, vejo algo sendo feito”, afirmou Ronaldo Alves, presidente do Instituto Brasília de Mobilidade Sustentável.

O ciclista foi líder do movimento Ciclovia Já, que impulsionou a construção das ciclovias que colocarão o DF na liderança nacional das políticas desse tipo de mobilidade. Em momentos de isenção do IPI [Imposto sobre Produto Industrializado], o DF emplaca por mês 23 mil carros. Em breve será impossível se locomover pela cidade a não ser de transporte público ou de formas alternativas, como a bicicleta.

Para garantir que as bicicletas sejam um meio de transporte eficaz, mesmo entre as pessoas que precisam se deslocar por longas distâncias, a legislação dá aos ciclistas o direito de levarem as bikes no Metrô-DF, que reserva o último vagão de cada trem para isso.

Essa estratégia é adotada pelo estudante Jonatas Rafael, 26 anos, que precisa se locomover diariamente entre Taguatinga, onde mora, o Lago Sul, onde trabalha, e a Universidade de Brasília, na Asa Norte, onde estuda. “Sem a bike seria muito difícil fazer com rapidez esses trajetos. Demoro 17 minutos para pedalar 10 km entre o Lago e a UnB, se precisasse ir de ônibus demoraria mais de uma hora”.

O GDF (Governo do Distrito Federal) pretende estender esse modelo para o Expresso DF, que ligará Santa Maria/Gama ao Plano Piloto – com a criação de espaços nos ônibus para o transporte das bicicletas.

Fonte: R7

error: Textos, fotos, artes e vídeos do site MTB Brasília estão protegidos pela legislação brasileira sobre direito autoral. Não reproduza o conteúdo do jornal em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização