15 de junho de 2024

Bicicletas estão na mira dos criminosos do DF

Foto: Felipe Viegas
Foto: Felipe Viegas

Por Carla Rodrigues – O ano mal começou e os números de roubos  de bicicletas no Distrito Federal já assustam a população de ciclistas. Aproximadamente 200 já foram levadas por criminosos na capital: uma média de três por dia. Em 2012, o total foi de 567 registros, quase 47 por mês. Planaltina ficou em primeiro lugar no ranking dos delitos, com 91 ocorrências, segundo dados da Secretaria de Segurança Pública.

Em 2011, o número de roubos  de bicicletas foi de 517. Ou seja, no ano seguinte, o  aumento foi de quase 10%. De acordo com o chefe do Departamento de Operações (Dope), coronel Alair Garcia, o perfil dos assaltantes é quase sempre o mesmo: são usuários de crack, que cometem os delitos para comprar drogas.

A prática assusta quem costuma pedalar pela cidade. “As pessoas que levam isso como esporte começaram a andar só em grupos, porque sabem dos riscos de pedalar sozinho em determinados locais”, afirmou o ciclista Ricardo Coutinho, 41 anos.

Ele teve sua bicicleta de treinos, que custou R$ 4 mil, furtada dentro da sua residência, no Jardim Botânico. Para ele, o número de bikes roubadas é ainda maior do que apontam as estatísticas da secretaria, pois nem todo mundo faz ocorrência dos crimes.

Triatleta, Ricardo indica ainda os locais que considera mais perigosos para o pedal, a subida do Paranoá e o Varjão. Nesses lugares, ressalta, “ninguém fica para trás. Se o pneu de alguém furar, o pelotão para e espera o conserto”. Ele diz que o Parque da Cidade e o Eixão não eram tão visados pelos assaltantes, mas atualmente são considerados pontos perigosos.

Na última segunda-feira, 2ª DP (Asa Norte) prendeu um suspeito de roubar pelo menos três bicicletas na Asa Norte. R.C.A chegou a ser flagrado por câmeras de segurança do estacionamento de um bloco. De acordo com o delegado-chefe Rodrigo Bonach, é importante que os síndicos  prestem atenção nas portas e cadeados dos bicicletários. “A fragilidade das trancas facilita a ação dos bandidos”, diz.

O depósito da 2ª DP abriga cerca de 30 bicicletas apreendidas, algumas delas caras e com características bem peculiares. “Nem temos mais onde colocar as bikes. Por isso, é importante registrar o boletim de ocorrência. Isso facilita a devolução aos proprietários”, explicou o delegado.

Fonte: Jornal de Brasília e redação do Clica Brasília

error: Textos, fotos, artes e vídeos do site MTB Brasília estão protegidos pela legislação brasileira sobre direito autoral. Não reproduza o conteúdo do jornal em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização